Festival de Curtas-Metragens de Sintra
16-19 de Fev. 2017

Pt En

Edição 2017

O Córtex assume-se como o único festival da grande área de Lisboa que se dedica exclusivamente ao formato da curta-metragem. Criámos um festival que privilegia e dignifica a curta metragem ao tratá-la com impacto e estruturando um espaço cada vez maior para a sua promoção e divulgação. Continua a fazer todo o sentido programar este formato, convictos de que todas obras são apreciadas num contexto que excede o simples hábito de visionar um filme numa sala de cinema.

A sétima edição do Festival Córtex começou por desenhar-se a si própria com algumas ideias de programação em cima da mesa. Não foi necessário debater muito para se chegar à conclusão de que este ano todos os caminhos estariam a apontar para a figura da mulher no cinema. Sem querer cair em lugares comuns e propagandas de movimentos feministas, rapidamente dicámos entusiasmados com a ideia de abrir o Festival com a primeira realizadora a receber a Palma de Ouro em Cannes, com um espólio de curtas metragens verdadeiramente surpreendentes, ainda realizadas na escola de cinema da Austrália. Jane Campion irá abrir o Festival Córtex, marcando também a nossa primeira homenagem a uma realizadora.

Em todas as edições temos a particularidade de dedicar a sessão de abertura às primeiras obras de um cineasta reconhecido internacionalmente. Acima de tudo, criamos a oportunidade de acompanhar a evolução dos seus trabalhos e conhecer a raíz do seu pensamento enquanto criador. Levamos a Sintra os dias de escola de Jane Campion e todo o espírito indomável de uma jovem de vinte e oito anos que arrecadou a Palma de Ouro em Cannes com a sua primeira curta-metragem “An Exercise in Discipline – Peel”, tornando-a na primeira mulher a receber este prémio. Esta será a oportunidade perfeita para se assistir pela primeira vez em sala às primeiras experiências cinematográficas de uma cineasta que se tornou pioneira, ao trazer a mulher para primeiro plano nas suas obras. Não foram as questões políticas ou movimentos feministas que moveram Jane Campion, mas antes uma sensibilidade que prestou um verdadeiro tributo à mulher e ao feminino divino e profano.

Filmes como “The Piano”, “The Portrait of a Lady” e “An Angel at my table”, converteram-se nalguns dos mais impactantes símbolos do novo cinema feminista. Quando falamos num novo cinema feminista referimo-nos às heroínas dos seus filmes, espelhadas através do filtro e da sensibilidade da mulher realizadora.

Além das competições Nacional, Internacional e Mini-Córtex (programado em parceria com a MONSTRA – Festival de Animação de Lisboa), o Córtex prossegue com a secção Hemisfério – este ano a curadoria ficou a cargo da London Short Film Festival.

Pela primeira vez iremos programar uma sessão especial dedicada a Sintra e ao cinema realizado nos anos 20/30 pela mão de Artur Costa Macedo e José César de Sá. Filmes sobre Sintra, musicados pelo Quarteto de Saxofones do Conservatório de Música de Sintra.

Como vem sendo habitual iremos promover programação paralela na área de concertos e ações de formação no MU.SA (Museu das Artes de Sintra). Serão quatro dias em que o cinema acontece a um ritmo alucinante com mais de cinquenta filmes em sala.