Festival de Curtas-Metragens de Sintra
16-19 de Fev. 2017

Pt En

Júri

  • ANABELA MOREIRA

    Natural de Lisboa, iniciou a sua formação em teatro na ACT (Escola de Atores), tendo inclusive participado em vários workshops lecionados por Marie Brand, Marion Masoliver e Kelly Cooper. Em 1995 estreia-se no teatro com a peça “Os Descobrimentos”, encenada por Júlio Martins, outras peças se seguiram como: “As Feiticeiras de Ulisses” pelo N.A.D.A. e “E Amanhã” encenação de Rosa Mãe. A sua primeira aparição em televisão acontece com a série de ficção “Riscos” em 1997, participando mais tarde em “Médico de Família”, “Olá Pai” e mais recentemente “Bem-Vindos a Beirais”. Em 2002 inicia-se no cinema com a curta-metragem “O Amor é Kitsch” de Rita Nunes e em 2003 estreia-se na longa “Noite Escura” de João Canijo. De João Canijo também trabalhou em outros filmes como: “Mal Nascida”, “Sangue do meu Sangue”, “É o amor” entre outros. Em 2012 vê o seu trabalho reconhecido ao ser nomeada para um Globo de Ouro pela sua representação em “Sangue do meu Sangue”. Além de João Canijo trabalhou com José Carlos de Oliveira, João Botelho e Leonel de Oliveira. No ano passado estreia-se na realização ao lado de João Canijo com a curta metragem “O dia do meu Casamento”.

    CÍNTIA GIL

    Estudou cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema, até ao 3º ano e Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Iniciou aí doutoramento, no Instituto de Filosofia da Universidade do Porto. Participou em vários congressos e publicações nacionais e internacionais.

    Em 2011 colaborou na programação das competições internacional e nacional do Doclisboa. Em 2012 integrou a direcção do festival onde permanece, hoje com Davide Oberto. Integra também a direcção da Apordoc – Associação pelo Documentário.

    Tem participado em júris em vários festivais: FidMarseille, Mar del Plata. RIDMontréal, Sevilha, etc.

    CLÁUDIA VAREJÃO

    Cláudia Varejão nasceu no Porto e estudou cinema no Programa de Criatividade e Criação Artística da Fundação Calouste Gulbenkian em parceria com a German Film und Fernsehakademie Berlin, na Academia Internacional de Cinema de São Paulo Brasil e fotogrfia na AR.CO em Lisboa. É autora da curta documental Falta-me/Wanting e da triologia de curtas de ficção Fim-de-semana / Weekend, Um dia Frio / Cold Day e Luz da Manhã / Morning Light. No Escuro do Cinema Descalço os Sapatos foi a sua estreia em longas metragens. Ama-San é o seu mais recente fillme, destacado com inúmeros prémios, entre os quais Melhor Filme da Competição Nacional do Doclisboa 2016. Para além do seu trabalho como realizadora desenvolve um percurso na fotografia.

  • LEONOR SILVEIRA

    Leonor Silveira, licenciou-se em Relações Internacionais pela Universidade Lusíada, e possui uma Pós-graduação em Direito da Cultura e Património Cultural pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

    A sua carreira de atriz inicia-se no cinema em 1989, com o filme Os Canibais de Manoel de Oliveira, tendo desde então trabalhado em todos os projectos deste realizador, sendo o seu último trabalho como Sofia no filme O Gebo e a Sombra.

    Trabalhou também com outros realizadores nomeadamente Luis Galvão Telles, Joaquim Pinto, Paulo Rocha, Vicente Jorge Silva, João Nicolau, João Botelho, e Serge Trefaut.

    O seu trabalho e desempenho ao longo dos anos, sobretudo no panorama cinematográfico português, valeu-lhe várias nomeações nos mais diversos eventos que premeiam a representação e o cinema. No ano passado foi-lhe atribuído o Prémio Bárbara Virgínia, pela Academia Portuguesa de Cinema. Tem também marcado presença em inúmeros Festivais da especialidade, Portugueses e Internacionais, como jurada.

    Em televisão, participou na série de ficção Terapia, exibida na RTP1, na pele de Catarina Guimarães, onde contracenou com Virgílio Castelo, Maria João Pinho, Filipe Duarte, Soraia Chaves e Nuno Lopes.

    Leonor Silveira foi ainda distinguida pela República de França com a ordem de Chevalier des Arts et des Lettres e com o Grau de Comendadora por Ordem de Mérito, pelo Presidente da República Doutor Jorge Sampaio.

    VASCO VIANA

    Vasco estudou realização cinematográfica, som e imagem na E.T.I.C. (Escola Técnica de Imagem e Comunicação, Lisboa) e na E.S.A.D. (Escola Superior de Artes e Design, Caldas da Rainha). Licenciou-se em Cinema - Imagem e Argumento pela E.S.T.C. (Escola Superior de Teatro e Cinema) em 2005. Foi assistente de imagem na Planar, uma das mais importantes casas de aluguer de equipamentos cinematográficos em Lisboa, onde ganhou experiência. Trabalhou como assistente de imagem em dezenas de curtas e longas-metragens de ficção e em publicidade.

    O seu trabalho como Director de Fotografia ganhou notoriedade com Arena, a curta-metragem de ficção de João Salaviza, vencedora da Palma de Ouro no Festival de Cannes em 2009. Desde então tem trabalhado sem parar em filmes de ficção, documentários, séries televisivas, filmes publicitários e videoclips (Gomo, Pontos Negros, Macacos do Chinês, Mundo Cão, New Wax, Feromona). O seu trabalho foi novamente reconhecido em Rafa, mais uma premiada curta-metragem de João Salaviza, desta vez com o Urso de Ouro no Festival de Berlim 2012 e com o Prémio de melhor fotografia no festival Manaki Film Festival - dedicado exclusivamente a fotografia para cinema. A primeira longa em que assina a fotografia é também premiada no mesmo festival Manaki Film Festival para a melhor fotografia de longa metragem.