Festival de Curtas-Metragens de Sintra
11-15 de Abril 2018

Pt En

Secções do Festival


RETROSPECTIVA ULRICH SEIDL

A oitava edição do Festival Córtex dedica a sessão de abertura e retrospetiva a Ulrich Seidl, o controverso realizador austríaco, vencedor do Leão de Ouro em Veneza em 2001 pelo filme “Hundstage – Dog Days”.
“Safari”, a última obra do realizador, irá abrir o Festival Córtex no Cinema Ideal em Lisboa, com estreia absoluta em Portugal.
Um retrato desconfortável sobre um grupo de turistas alemães e austríacos que viajam até África para se dedicarem à caça. De cerveja na mão, atrás dos arbustos e a longa distância, os caçadores aguardam pelo momento do disparo que lhes concede uma sensação de tensão e que acaba num triunfante clímax, o troféu.
“Safari” é um documentário duro e violento que recusa condenar os seus intervenientes, mas antes entender o que está por detrás das suas motivações. Para além desta estreia (a primeira longa metragem exibida em 8 anos de Córtex) iremos exibir uma retrospetiva de Ulrich Seidl que atravessa o seu período inicial que o grande público desconhece, criando uma oportunidade única de entrar em contacto com a génese da sua visão enquanto realizador, dando a conhecer pela primeira vez os seus filmes de escola e as produções que realizou para televisão nos anos 90.
Ulrich Seidl vê surgir com forte impacto o reconhecimento do seu inquestionável mérito e genialidade com a trilogia Paradies, que rapidamente se tornou um objeto de culto. Ulrich tem a capacidade de explorar de forma absolutamente original e única o espaço que existe entre a realidade e a ficção, acabando por criar um universo que reconhecemos ao primeiro frame:
a obsessão pela simetria, o humor inofensivo que o seu olhar nos oferece, os seres humanos a cru que se expõem e nos causam embaraço, tudo aquilo que nos dá tantas vezes a sensação de estarmos a ver algo que não era suposto.
O realizador é um verdadeiro criador de sensações e emoções no público, sem ter de recorrer a truques fáceis, mostrando apenas que a realidade pode ser bizarra e intrigante mesmo no mais simples quotidiano, na mais vulgar rotina.
É um privilégio sem medida, podermos contar com o realizador no Córtex de 2018, para falar na primeira pessoa sobre seu olhar e motivações que o levaram a fazer um caminho que marca o cinema e o espectador de forma indelével.

© Sepp Dreissinger

ULRICH SEIDL: BIOGRAFIA

Ulrich Seidl nasceu em 1952, em Viena, na Áustria. Realizador, autor e produtor, iniciou a sua carreira com documentários premiados como Good News (1990), Animal Love (1995) e Models (1998). Em 2001, a sua primeira longa-metragem de ficção Dog Days arrecadou o Grande Prémio Especial do Júri no Festival de Cinema de Veneza. Import Export (2007) foi o primeiro filme que a Seidl realizou com sua própria produtora. Seguiu-se a premiada trilogia PARADISE (2012) cujas partes estrearam em Cannes, Veneza e Berlim. Desde então realizou In the Basement (2014) e Safari (2016) em estreia no Festival Córtex.

HEMISFÉRIO

“Hemisfério” é uma secção que foi criada em 2015, com o intuito de programar uma mostra de cinema, inteiramente dedicada às diferenças culturais de uma outra realidade, convidando a cada ano uma instituição de cinema internacional, a programar um ciclo de curtas-metragens do seu país. Em 2018 convidámos o festival austríaco Viena Shorts.
VIS Vienna Shorts é o principal festival de curtas metragens austríaco e um festival elegível para os Oscares® e os Austrian Film Awards. O VIS pretende criar tensão e encorajar fantasias, despertar a curiosidade do público e incitar à discussão, resumindo: gerar interesse pela curta-metragem. Seja ficção, documentário, animação ou experimental – a experiência de ver um filme não termina com os créditos finais. Os filmes deste programa são criativos, bem-humorados e corajosos nas suas abordagens formais e conceptuais. Tocam e inspiram, criticam e provocam. Desafiam e convidam o espetador a envolver-se mais profundamente. São histórias intensas e performances fortes, torrentes de imagens sofisticadas e testemunhos políticos. Este seleção consiste em destaques e filmes premiados que tentam mostrar o espírito do festival. Agradecemos a todos os realizadores pelo seu trabalho e ao Festival Córtex pelo convite.

Wannabe, de Jannis Lenz, Áustria/ Alemanha, FIC, 2017 - 30’
When Time Moves Faster, de Anna Vasof, Grécia, Canadá, Áustria, EXP/ ANIM, 2016 - 7’
First and Foremost (In erster Linie), de Veronika Schubert, Áustria, ANIM/ DOC, 2016 - 6’
Forest of the Echos (Wald der Echos), Maria de Luz Olivares Capelle, Áustria, FIC, 2016 - 30’
Fuffy Duddy, de Siegfried A. Fruhauf, Áustria, EXP, 2016 - 5’
The Living Room (Im Wohnzimmer), de Alexander Gratzer, Áustria, ANIM, 2016 - 2’
Little Hell - Ankathie Koi, de David Kleinl, Antonin Pevny, Áustria, VIDEOCLIP, 2016 - 5’

FRONTAL

Pela primeira vez, o Festival Córtex inaugura uma seção de curtas metragens que pretende unir jovens adolescentes e séniores. Em vez de separarmos estes dois mundos como é habitual no nosso contexto social, criámos uma secção com uma programação que vai aliar avós e netos adolescentes. Esta é uma iniciativa inédita nunca antes pensada para um festival de cinema em Portugal.
Junta-se assim às secções Mini Córtex e Hemisfério, uma nova secção chamada Frontal.
O objetivo é derrubar a barreira que tantas vezes separa os mais velhos dos mais novos e usar o cinema como motor. Foi preparada e pensada toda uma seleção de curtas metragens nacionais que comunicam perfeitamente e de forma transversal com estas idades. A nossa proposta é aliar diferentes gerações e decifrar o que os une em vez de sublinhar o que os separa, dando a conhecer aos mais velhos a realidade dos mais jovens e vice-versa. 
As sessões irão realizar-se nos dias 11 e 12 de Abril no Centro Cultural Olga Cadaval pelas 16:30.

Coisa de Alguém, de Susanne Malorny, Portugal, DOC, 2014 – 25’
Não são Favas, São Feijocas, de Tânia Dinis, Portugal, DOC, 2013 – 10’
Primária, de Hugo Pedro, Portugal, DOC, 2013 – 20’
Pronto, Era Assim, de Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues, Portugal, ANIM/ DOC, 2015 – 13’
Rhoma Acans, de Leonor Teles, Portugal, DOC, 2012 – 12’

SESSÃO PREMIADOS CÓRTEX NO CINEMA IDEAL

Coisa de Alguém, de Susanne Malorny, Portugal, DOC, 2014 – 25’
Outubro Acabou, de Karen Akerman, Miguel Seabra Lopes, Portugal/Brasil, FIC/DOC/EXP, 2015 – 24’
Primária, de Hugo Pedro, Portugal, DOC, 2013 – 20’
Pronto, Era Assim, de Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues, Portugal, ANIM/ DOC, 2015 – 13’
Campo de Víboras, de Cristèle Alves Meira, Portugal, FIC, 2016 – 19’
Noite, de Flávio Pires, Portugal, FIC, 2012 – 13’
Nada Fazi, Filipa Reis e João Miller Guerra, Portugal, FIC, 2011 – 20’

COMPETIÇÃO NACIONAL

Água Mole, de Laura Gonçalves, Xá (Alexandra Ramires), Portugal, ANIM, 2017 – 9’
Altas Cidades de Ossadas, de João Salaviza, Portugal, FIC/DOC, 2017 - 19’
Cidade Pequena, de Diogo Costa Amarante, Portugal, FIC/DOC/EXP, 2016 – 19’
Coup de Grâce, de Salomé Lamas, Portugal, FIC, 2017, 25’
Em Algum Lugar, de Inês de Sá Frias e Leandro Martins, Portugal, DOC, 2017 – 16’
Farpões Baldios, de Marta Mateus, Portugal, FIC/DOC, 2017 – 25’
Limoeiro, de Joana Silva, Portugal, ANIM, 2016 – 5’
Miragem Meus Putos, de Diogo Baldaia, Portugal, FIC, 2017 – 24’
O Meu Pijama, de Maria Inês Gonçalves, Portugal, FIC, 2017 – 21’
Os Estrangeiros, de Rita Al Cunha, Portugal, DOC, 2017 – 15’
Os Humores Artificiais, de Gabriel Abrantes, Portugal, FIC, 2017 – 29’
Por Tua Testemunha, de João Pupo, Portugal, FIC, 2017 – 18’
Surpresa, de Paulo Patrício, Portugal, ANIM/DOC, 2017 – 8’40’’
Thursday Night, de Gonçalo Almeida, Portugal, FIC, 2017 – 7’36’’
Tudo o que Imagino, de Leonor Noivo, Portugal, FIC/DOC, 2017 – 32’

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL

A Field Guide To Being A 12 Year Old Girl, de Tilda Cobham-Hervey, Austrália, DOC, 2017 – 20’
The Wizard of U.S. (Czarnoksieznik z krainy U.S.), de Balbina Bruszewska, Polónia, ANIM, 2016 – 22’30’’
Hello, Stranger, de Anthony Schatteman, Bélgica, FIC, 2017 – 19’
Wild Game (Jahiloom), de Jeronimo Sarmiento, Estónia / Portugal, FIC, 2017 – 25’
Stuck (Klem), de Mathijs Geijskes, Holanda, 2016, FIC – 10’
The Summer Movie (Le Film de L'ete), de Emmanuel Marre, França, FIC, 2017 – 30’
Islands (Les îles), de Yann Gonzalez, França, FIC, 2017 – 23’
The Disinherited (Los Desheredados), de Laura Ferrés, Espanha, DOC / FIC, 2017 – 18’
Night Call, de Amanda Renee Knox, E.U.A, FIC, 2017 – 17’
Overrun, de Pierre Ropars, Antonin Derory, Diane Thirault, Jérémie Cottard, Matthieu, França, ANIM, 2017 – 7’42’’
The Return (Powrot), de Damian Kocur, Polónia, FIC, 2016 – 21’
Sog, de Jonatan Schwenk, Alemanha, ANIM, 2017 – 10’14’’
Lockjaw (Szczekoscisk), de Kordian Kadziela, Polónia, DOC, 2016 – 30’
The Brick House, de Eliane Esther Bots, Holanda, EXP/DOC, 2017 – 16’

MINI CÓRTEX

Competição Internacional de animação para o pÚblico infantil. Esta competição só abrange filmes de animação e é co-programada com a MONSTRA – Festival de Animação de Lisboa.

Corner, de Lucija Mrzljak, Estónia, ANIM, 2016 – 2’
Good Boy, de Rachel Beltran, Nicole Myers, EUA, ANIM, 2017 – 6’43’’
In a Heartbeat, de Esteban Bravo e Beth David, EUA, ANIM, 2017 – 4’5’’
Le Petit Bonhomme de Poche, de Ana Chubinidze, França, Suíça, Geórgia, ANIM, 2016 – 7’
Nobody, de Elham Toroghi, Irão, ANIM, ANIM, 2016 – 9’17’’
Temptation, de Camille Canonne, Laura Bouillet, Michael Hoft, Catherine Le Quang, Pauline, França, ANIM, 2017 – 5’
The House, de Veronika Zacharová, República Checa, ANIM, 2016 – 5’
Two Trams, de Svetlana Andrianova, Rússia, ANIM, 2016 – 10’